quinta-feira, 18 de maio de 2017

TEU OLHAR, MINHA CASA

O teu olhar fez do meu, casa
Caso contigo sem piscar
Se por acaso um beijo teu, laça
Enlaço a vida em teu olhar

Quero voar com você, asa
Que me permite ser feliz
Que desepero que esse tempo passa
Mas não me traz minha Thais

Quero viver no teu olhar
Vem meu amor, me dê sua mão
Vem me buscar e o meu sonhar
Pois já é teu meu coração

NÃO SEI EXPLICAR

Parei com você na esquina
Da Gomes Freire com a Men de Sá
Num bar que furtivos amantes
A vida distante costuma juntar

Pedi uma dose de gim,
Azeitona e cerveja para acompanhar
Beijei os seus lábios de um jeito
Que a dor em meu peito pediu pra saltar

Você me chamou pra subir
Quando fui perceber já estava no altar
Daquela noite pra cá
Pouca coisa me lembro, não sei  explicar

Hoje vivemos felizes
Num conjugado sem sala de estar
Na Riachuelo dezoito,
No bloco dos fundos, oitavo andar

quarta-feira, 17 de maio de 2017

VEM ME BEIJAR

Meu coração está em festa
Felicidade enfim chegou
Quem vai pintar?
Quem vai contar?
Quem vai dizer que ela voltou?

Alguns dirão que ela não presta
Por tudo o quê me fez passar
Bobo então
Grito que não
Tem outra louca em seu lugar

Vem me beijar, oh meu amor
Vamos sair da escuridão
Vem provocar
Atormentar
Denunciar nossa paixão

Vem me beijar, oh meu amor
Quero morar nos lábios teus
Vem me buscar
Vamos deixar
Pra quem ficar o nosso adeus

NOSSA HISTÓRIA SEM FIM

Nosso tempo passou
E a gente nem viu
Quanta coisa sumiu
Quanto amor se desfez

Você disse talvez
E eu querendo teu sim
Foi tão duro pra mim
A verdade ecoou

E meu peito ruiu

Seguiremos então
Nos deixando pra trás
Tanta coisa demais
Tanta vida feliz

Te chamei para o bis
E a cortina fechou
Simplesmente acabou
Nossa história sem fim

Mas não foi opção

segunda-feira, 8 de maio de 2017

VÁ COM DEUS

Vá com Deus
E não olhe para trás
Não se importe com meus ais
Simplesmente vá com Deus

Vá com Deus
Siga seu caminho em paz
Nossa história foi demais
Mas agora, vá com Deus

Vá com Deus
Que ele sabe do que és capaz
Sabe todo o mal que você faz
Sabe o quanto eu fui infeliz

Vá com Deus
Que meu peito agora é um cartaz
Onde está escrito aqui jaz
Todo o bem que um dia eu já te quis


IMAGEM SEM COR

Meu passo vazio
Caminha distante
Pensando em você
Palhaço sombrio
De andar vacilante
Que vai sem porquê

Seguindo em frente
Por falta de escolha
Direto pro nada
O nada não sente
A dor nesta folha
E na outra rasgada

E o nada flutua
Diante dos olhos
No fim deste amor
A dor continua
Através do espelho
Na imagem sem cor

domingo, 8 de janeiro de 2017

CURANDO A DOR

Quando a noite cai
Eu sinto a falta 
Que você me faz  
Quando o dia vem
Sinto saudades 
De você, meu bem 

Quando a noite cai
Eu sinto a falta 
Que você me faz  
Quando o dia vem
Sinto saudades 
De você, meu bem 

Penso em você 
De segunda a sexta-feira
Vou descendo uma ladeira 
De tristeza e solidão 
Mas se à tardinha 
Alguém pede uma abrideira
Depois da décima terceira 
Já curei meu coração 

Quando a noite cai...

Penso em você 
Todo dia, toda hora
Tô pensando aqui, agora 
Triste fim de uma paixão 
Mas se um cavaco
Chega, senta e chora
Sinto uma leve melhora 
E não largo mais meu violão

Quando a noite cai...

Penso eu você 
Quando estou sozinho em casa
O remorso me abraça 
Choro por qualquer novela
Já tentei quase tudo 
E a dor não passa
Tomo mais uma cachaça
E vou correndo pra Portela

Quando a noite cai...

MAL PERDEDOR

Pensei que pudesse deixar
De te amar e sofrer 
Mas bastou só te ver
Com outro a dançar
Para o mundo acabar
Pro meu mundo ruir

Procurei pelo Andaraí 
Uma mesa de bar
Que pudesse aplacar
A saudade de ti
Apagar o que eu vi
De uma vez me curar

Encontrei uma roda, um luar
Tamborim, violão 
Teve um samba cancão
Que tentou me salvar
Mas alguém foi puxar
Uma do Jamelão 

Eta dor, 
Não tem samba de amor
Nem cachaça demais
Que devolva a paz
Que arranque a raíz 
Do que faz infeliz
Este mal perdedor

sexta-feira, 18 de novembro de 2016

NA HORA QUE EU FOR ACORDAR

Escuto passos
No sótão da minha cabeça
Que ela me esqueça
Pois já desisti dos seus braços

Por que ela insiste em dançar
Pela minha lembrança
Pra que tanta dança sem par
Será que ela não cansa

Será que ela desce de lá
Será que ela não vai dormir
Será que ela vai insistir
Pra eu subir e ficar pra jantar

Será que ela vai me beijar
Será que eu irei sucumbir
Será que ela irá me despir
Na hora que eu for acordar

Meu sonho não parta de mim
Que fique depois de raiar
O sol que não quis esquentar
O amor que eu jurei não ter fim

terça-feira, 15 de novembro de 2016

ROSA DISTRAÍDA

Duas rosas amarelas 
Dormiram em meu jardim 
Uma delas é aquela 
Já cravada até o fim 
Bem no meio do meu peito 
Essa aí não tem mais jeito 
É melhor deixar assim

É quem me rouba os pensamentos
Acalanta os meus tormentos 
Está sempre ali pra mim 
Eu também estou pra ela 
Faço mãos de jardineiro
Digo sempre não primeiro 
Pra depois dizer que sim

E afago seus cabelos
Dou um cheiro em seu pescoço
Faço sempre um alvoroço
Faço festa em seu olhar
Essa aí é uma delas
Dessas duas rosas belas
Que estavam a sonhar

A outra me apareceu do nada
No avançar da madrugada
Que eu nem a vi chegar
Enroscou-se na primeira
E brincaram a noite inteira
Misturaram seus carpelos
E dormiram no sofá

Deitadinhas lado a lado
Expressavam a leveza
De um casal apaixonado
Nunca vi tanta beleza
Como a flora se supera
Despertando a primavera
Num canteiro abandonado

Ah, essas flores coloridas
Já nasceram distraídas
Umas nem se sabem flor
Exibindo suas pétalas
Vão dormindo descuidadas
Estão sempre apaixonadas
Exalando tanto amor