domingo, 7 de junho de 2009

MINHA SANTINHA

Minha querida esposa escreveu recentemente um texto em que depois de anos assistindo e acompanhando tamanho desmazelo ela resolve dar uma ajudinha a Deus (leiam aqui). No post em questão ela diz ainda que se fosse julgada pelo crivo dos 10 mandamentos, que na verdade são 12, ela seria quase santificada. E é exatamente aí que eu entro, uma vez que esta revelação me deixou, digamos assim, um pouco assustado.

Não que eu não conhecesse os 10 mandamentos. Podia até não sabê-los de cor, mas a ideia toda do planejamento estratégico de Deus eu já tinha em mente. Admito que não sabia que eram 12, pois cada religião os agrupa da forma que melhor lhes convém para que no final tenhamos este número redondo. Acho que para chamar mais a atenção, ou para não dar preguiça de ler. Tipo: Caraca mãe! São mais de 10? Fala sério!

Mas o que realmente me assustou foi perceber que dos 12 mandamentos ali listados naquele belo blog por minha santa companheira, eu não escapava de quase nenhum. Acho que cometi todos aqueles pecados, que pensando alto, ou melhor, escrevendo alto, vou confidenciar à vocês.

Como as grandes religiões do planeta os agruparam eu também me permito, e agrupo o 1º, o 2º e o 4º mandamento:

1- Eu sou o SENHOR, o teu DEUS.

Não terás outros deuses além de mim.

Não tomará em vão o nome do SENHOR, o teu DEUS.


Este post demonstra por si próprio que este primeiro item já foi para a Cucuia. E para deixar claro, eu tenho uma senhora, tudo bem que é quase uma santa, mas senhor, eu nunca tive.

2- Não farás para ti nenhum ídolo.


Três me chegam instantaneamente à cabeça: Meu pai, Zico e Chico Buarque.


3- Lembra-te do dia de sábado, para santificá-lo.

Este sim, já foi sagrado para mim. Era o dia da pelada e de beber até tarde com os amigos. Hoje eu já me regenerei, sai desta vida desregrada. No sábado agora só penso em dormir até mais tarde abraçadinho à minha santa amada e depois levá-la para uma deliciosa feijoada e samba da melhor qualidade na Rua do Ouvidor. Com o Yuki, é claro.


4- Honra teu pai e tua mãe.


Meu pai, Deus deixou partir cedo demais, me privou da companhia, dos ensinamentos e da alegria de um dos mais decentes seres deste mundo, segundo quem o conheceu melhor, pois eu não tive esta oportunidade. Minha mãe, a pessoa que eu mais admiro, muitas vezes se decepcionou comigo. Mas acho que isso é coisa de filho mesmo, e com certeza ela vai falar que eu sou maravilhoso e que tem orgulho de mim, coisas de mãe.


5- Não matarás.


Já matei. Lembram do dia em que amarrei Os Bico dos Pinto? (leiam aqui).


6- Não adulterarás.

Já perdi a conta de quantos documentos adulterei, provas, cadernetas, e por aí vai... (me saí bem dessa, não?)


7- Não furtarás.


Quando criança, tínhamos o costume de ver quem conseguia sair das Lojas Americanas com a maior quantidade de bombons e balas nos bolsos; já dei muito calote em ônibus no tempo em que se entrava por trás e saia pela frente. Já sai de um bar sem pagar a conta num dia que faltou energia e tudo ficou um breu. Já comi o almoço de uma moça que levantou para ir ao banheiro, já “me enganei” um pouquinho na declaração de imposto de renda, já utilizei material da empresa para fins particulares, etc.


8- Não darás falso testemunho contra o teu próximo.


Quem tem irmão, algum dia, na eminência de apanhar, já falou a seguinte frase. Eu juro que não fui eu mãe, foi ele. Muitas vezes ainda apontando e com os olhos cheios da água cristalina do verdadeiro remorso por estar entregando o próximo, ou neste caso, o irmão que estava mais próximo.


Apesar de ser filho único, comigo não foi diferente, sempre que minha avó perguntava sobre quem havia bebido todos os Yakultes da geladeira, eu nem titubeava, foi o Célio vó!


9- Não cobiçarás (a mulher do teu próximo).


Quando éramos jovens isso só valia para os amigos, e mesmo assim, para os mais chegados, aquele tipo irmão do peito. E para alguns, somente se o amigo estivesse bem próximo mesmo, do outro lado do baile já era distante demais.


10- Não cobiçarás (a casa do teu próximo).

Taí um que eu não me lembro de ter transgredido. Apesar de ter esta enorme ficha corrida descrita e confidenciada neste post, nunca precisei cobiçar o lar de ninguém, pois sempre tive as portas abertas dos lares de todos os meus amigos, que fazem questão que eu e toda a minha família nos sintamos como se estivéssemos em nossa própria casa.


Este texto eu dedico a minha santa esposa que me inspirou, que me atura e que com certeza vai me perdoar pelo deboche. Te amo demais, minha linda.

Minha Santinha.


4 comentários:

Anônimo disse...

É amigão como sempre mandou muito bem, acho que tudo que escreveu teve um q a ver comigo.

Até os que se dizem cristões fervorozos aposto que se fizessem a leitura deste ótimo texto poderiam rever suas considerações no que diz respeito aos 10 mandamentos (apenas aqueles que tem um pouco de inteligência), afinal de contas todos nós somos seres humanos.

Rudnei

Elika Takimoto disse...

Ninguém pode dizer que fui eu que te levei para o caminho da perdição. Antes de me conhecer vc havia matado, roubado, idolatrado, dedurado...tudo bem que depois que casamos vc ainda se mostrava um tanto assim, digamos,um pouco religioso a ponto de santificar todos os sábados. Mas, há de convir: conviver com uma santa como eu te fez muito bem, biblicamente falando.

;-)

Grande beijo

Saudades doloridas

Elika, a Santa

Anônimo disse...

Quase tão bom quanto seu "santificado desabafo" foi o nada tendencioso comentário de sua santinha. Saudades ETÍLICAS, GASTRONÔMICAS E SAMBÍSTICAS de todos. Que bom que o feriadão tá chegando. Vamos asssistir o monobloco e Zé Ramalho na FESTA DO TOMATE? Ainda aceitamos reservas. valeu!!!!!!

Nara disse...

Pai, só você! TE amo d+!